Vitória da vida no México

A Suprema Corte do México rejeitou a legalização do aborto naquele país. Na verdade, o debate girava em torno da constitucionalidade da proibição do aborto nas constituições estaduais, pois muitos Estados estavam proibindo a legalização do aborto nas constituições estaduais. Os adeptos do aborto levaram até à Suprema Corte a ação de inconstitucionalidade do ato, argumentando que a proibição do aborto nas constituições estaduais era inconstitucional. Com a decisão da Egrégia Corte mexicana, as constituições estaduais poderão blindar a vida.

No Brasil, até agora só tenho notícia de que o movimento pró-vida, liderado pelo prof. Hermes Rodrigues Nery, vem tentando emplacar uma ação de iniciativa popular para que seja apresentada uma PEC (proposta de emenda constitucional) na Assembleia Legislativa de São Paulo assegurando o direito à vida desde a concepção na Constituição do Estado. Se essa ideia vingar, São Paulo será o primeiro estado brasileiro a blindar a vida desde a concepção. O problema por aqui é que o Supremo Tribunal Federal, com seu ativismo judicial, pode acabar aprovando a ADPF 54 – liberando o aborto de anencéfalos e pressionado pelo lobby abortista  declarar inconstitucionalidade de qualquer Constituição Estadual garantir a vida desde a concepção.

Festa dos Arcanjos Miguel, Gabriel e Rafael

 

“ Eles aí estão, desde a criação, e ao longo de toda História da Salvação, anunciando de longe ou de perto essa salvação e servindo ao desígnio divino da sua realização: fecham o paraíso terrestre, protegem Lot, salvam Agar e seu filho, seguram a mão de Abraão, a lei é comunicada por ministério deles, conduzem o povo de Deus, anunciam nascimentos e vocações, assistem os profetas. Finalmente é o Anjo Gabriel que anuncia o nascimento do João Batista e do próprio Jesus” (CIC,332). “ Desde a Encarnação até a Ascensão, a vida do Verbo Encarnado é cercada da adoração e do serviço dos anjos, (…) Protegem a infância de Jesus, servem Jesus no deserto, reconfortam-no na agonia, embora tivesse podido ser salvo por eles da mão dos inimigos, como outrora Israel. São ainda os anjos que evangelizam, anunciando a Boa Nova da Encarnação e da Ressurreição de Cristo. Estarão presentes no retorno de Cristo, que eles anunciam, a serviço do juízo que o próprio Cristo, que eles anunciam, a serviço do Juízo que o Próprio Cristo pronunciará” (CIC,333).

São Miguel
O nome do Arcanjo Miguel possui um revelador significado em hebraico: “Quem como Deus”. Segundo a Bíblia, ele é um dos sete espíritos assistentes ao Trono do Altíssimo, portanto, um dos grandes príncipes do Céu e ministro de Deus. No Antigo Testamento o profeta Daniel chama São Miguel de príncipe protetor dos judeus, enquanto que, no Novo Testamento ele é o protetor dos filhos de Deus e de sua Igreja, já que até a segunda vinda do Senhor estaremos em luta espiritual contra os vencidos, que querem nos fazer perdedores também. “Houve então um combate no Céu: Miguel e seus anjos combateram contra o dragão. Também o dragão combateu, junto com seus anjos, mas não conseguiu vencer e não se encontrou mais lugar para eles no Céu”. (Apocalipse 12,7-8)

São Gabriel
O nome deste Arcanjo, citado duas vezes nas profecias de Daniel, significa “Força de Deus” ou “Deus é a minha proteção”. É muito conhecido devido a sua singular missão de mensageiro, uma vez que foi ele quem anunciou o nascimento de João Batista e, principalmente, anunciou o maior fato histórico: “No sexto mês, o anjo Gabriel foi enviado por Deus a uma cidade da Galiléia, chamada Nazaré… O anjo veio à presença de Maria e disse-lhe: ‘Alegra-te, ó tu que tens o favor de Deus’…” a partir daí, São Lucas narra no primeiro capítulo do seu Evangelho como se deu a Encarnação.

São Rafael
Um dos sete espíritos que assistem ao Trono de Deus. Rafael aparece no Antigo Testamento no livro de Tobias. Este arcanjo de nome “Deus curou” ou “Medicina de Deus”, restituiu a vista do piedoso Tobit e nos demonstra que a sua presença, bem como a de Miguel e Gabriel, é discreta, porém, amiga e importante. “Tobias foi à procura de alguém que o pudesse acompanhar e conhecesse bem o caminho. Ao sair, encontrou o anjo Rafael, em pé diante dele, mas não suspeitou que fosse um anjo de Deus” (Tob 5,4). O anjo Rafael foi companheiro de viagem de Tobias. É aquele que cura, que expulsa os demônios, é o guia e seu protetor nas adversidades. São Rafael é o guardião da saúde e sua maior função é auxiliar na cura dos doentes e enfermos, protegendo os hospitais e ajudando aqueles que necessitam.

 “São Gabriel com Maria, São Rafael com Tobias, São Miguel com todas as hierarquias, abri para nós todas as vias.”

 

Relativistas incomodam muito mais

Muitos já cantaram isso: “um elefante incomoda muita gente, dois elefantes incomodam, incomodam, incomodam muito mais”. Aplico esse jingle aos relativistas frequentadores do blog. Recebo todo tipo de comentários neste blog, desde aqueles que são favoráveis a alguma notícia até aqueles que são combativos. Destaque para os comentários contra a homofobia. Mas o que mais me incomoda são aqueles comentários de pessoas que se dizem católicas, mas são plenamente relativistas em questões de fé e moral. Alguns questionam o porquê das críticas àqueles que são de outra comunidade eclesial (falam de outra Igreja, mas não é o vocabulário correto segundo o CVII), pois, segundo afirmam, todos são cristãos e servem a Deus. Ora bolas, tem muitos por aí que, com o objetivo de ganhar dinheiro, estão dizendo que servem a Deus. Este argumento de que “servem a Deus” é um pouco fajuto. Jesus mesmo advertiu que alguns matariam outros, pensando prestar culto a Deus. Outros, criticam a atitude dos católicos dizendo que eles são intolerantes. Mas esses mesmos é que não toleram qualquer crítica. Tomo aqui um parágrafo do discurso do Papa Bento XVI na Alemanha falando sobre o relativismo.

Insídias do relativismo subliminar

Vivemos num tempo caracterizado em grande parte por um relativismo subliminar que penetra todos os âmbitos da vida. Às vezes, este relativismo torna-se combativo, lançando-se contra pessoas que dizem saber onde se encontra a verdade ou o sentido da vida.

E notamos como este relativismo exerce uma influência cada vez maior sobre as relações humanas e a sociedade. Isto exprime-se também na inconstância e descontinuidade de vida de muitas pessoas e num individualismo excessivo. Há pessoas que não parecem capazes de renunciar de modo algum a determinada coisa ou de fazer um sacrifício pelos outros. Também o compromisso altruísta pelo bem comum nos campos sociais e culturais ou então pelos necessitados está a diminuir. Outros já não são capazes de se unir de forma incondicional a um consorte. Quase já não se encontra a coragem de prometer ser fiel a vida toda; a coragem de decidir-se e dizer: agora pertenço totalmente a ti, ou então, de comprometer-se resolutamente com a fidelidade e a veracidade, e de procurar sinceramente as soluções dos problemas.

Rock in Rio: diversão ou adoração?

Em tempos de Rock in Rio coloco abaixo pensamento do Cardeal Ratzinger sobre o Rock. Muitos cristãos enganados, assumem o rock como mais um estilo de música. Não analisam se, de fato,. quando ouvem alguma música estão tendo momento de diversão ou se estão prestando um culto.

“O rock é uma expressão básica das paixões que, em grandes plateias, pode assumir características de culto ou até de adoração, contrários ao cristianismo.”
(Cardeal Joseph Ratzinger, Papa Bento XVI)

 

Santa Sé desmente rumor sobre renúncia de Bento XVI

Zenit.org – O porta-voz da Santa Sé considera que não tem fundamento algum o rumor divulgado neste domingo, segundo o qual Bento XVI estaria pensando em renunciar ao cumprir 85 anos, em abril de 2012.

Diante das perguntas dos jornalistas que acompanhavam o Pontífice em Freiburg, o Pe. Federico Lombardi SJ, diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé, explicou que “a resistência do Papa nesta viagem fala eloquentemente da sua capacidade de enfrentar compromissos muito pesados”.

Na edição deste domingo, o jornal milanês Libero publicou um artigo de Antonio Socci, que faz circular rumores sobre uma possível futura renúncia do Papa, sem oferecer nenhuma fonte nem dado mais concreto.

Por este motivo, o Pe. Lombardi, com um sorriso, respondeu aos jornalistas: “Se Socci diz isso, é preciso perguntar-lhe de onde tirou esta informação. O que sabemos é o que o próprio Papa escreveu no livro ‘Luz do mundo’. Não tenho outras informações”.

Na entrevista “Luz do mundo”, publicada em 2010, em resposta ao jornalista Peter Seewald, Bento XVI declarou: “Se o Papa chega a reconhecer com clareza que, física, psíquica e mentalmente, já não pode suportar a carga do seu ofício, tem o direito e, em certas circunstâncias, também o dever de renunciar”.

Mas, no mesmo livro, o Papa acrescenta, falando das dificuldades da Igreja, em particular após a descoberta dos casos de pedofilia: “Se o perigo é grande, não se deve fugir dele. Por isso, certamente não é hora de renunciar. Justamente em um momento como este, é preciso permanecer firme e encarar a situação difícil. Esta é a minha concepção. Pode-se renunciar em um momento sereno ou quando a pessoa já não pode mais. Mas não se deve fugir no perigo e dizer: que outro faça isso”.

O Pe. Lombardi recordou que “o Papa está muito bem” e, “apesar de que a viagem tenha sido muito cansativa, ele a enfrentou muito bem. Do ponto de vista da saúde, esta viagem foi um autêntico êxito”.

A viagem que Bento XVI concluiu ontem à sua terra natal foi uma das mais intensas de todo o seu pontificado. Ele pronunciou 18 discursos e homilias – alguns deles históricos, tanto para a Alemanha como para a Igreja –, deu uma coletiva de imprensa e teve encontros com todos os representantes institucionais e religiosos da sua nação.

Uma pequena análise sobre o Papa na Alemanha

 

Não há como negar: o Papa se saiu muito bem na Alemanha apesar de toda hostilidade de maioria dos alemães. Destaque importante sobre discurso do Papa no Parlamento alemão.Giuliano Ferrara, publicou um artigo no “Foglio” no qual ele chegou a afirmar que: “Somente um Papa pode nos salvar”. Segundo ele, o discurso do Papa fez ressurgir uma luz clara e limpa da inteligência e da razão. Para Ferrara, o discurso do papa “não é um discurso permeado de polêmicas e sofismas. Se somos livres, se estamos num mundo laico, se somos donos de nosso destino é porque somos cristãos. O cristianismo não impôs a Revelação como lei, não é a ‘sharia’, não é um espaço mítico para deuses litigiosos. Na base dos direitos humanos, das conquistas do Iluminismo, da própria ideia moderna de consciência, está a escolha cristã e católica em favor do direito da natureza e da lei da razão”. Outro momento importante foi o encontro do Papa em Erfurt para um momento ecumênico. O Papa não reabilitou Lutero, como previam alguns, aliás, até decepcionou os protestantes que esperavam que o Papa cedesse em algum ponto da fé. Ao contrário, reafirmou que não há negociação entre questões de fé, mas ressaltou que os cristãos devem trabalhar pela dignidade do homem, não admitindo nada que desfigure o ser humano ou o torne um simples produto. Outros momentos também foram importantes, mas é preciso destacar também o encontro do Papa com 30 mil jovens alemães. Muitos destes jovens estavam presentes na JMJ em Madri. A eles, o Papa falou que o maior perigo para a Igreja não são seus adversários exteriores, mas os cristãos tíbios. Finalizando a viagem, o Papa celebrou uma missa para umas 100 mil pessoas, número muito expressivo se considerarmos que apenas 30% dos alemães são católicos.

TV Brasil continuará transmissão da missa aos domingos

Divulguei, aqui no blog estes dias, a decisão do conselho curador da TV Brasil de retirar programas religiosos da grade da emissora. Mas a decisão deverá ser revertida, pelo menos por um tempo, pois o juiz federal da 15ª Vara Federal do Distrito Federal, João Luiz de Souza, concedeu, nesta terça-feira, liminar garantindo a transmissão pela Empresa Brasil de Comunicação (EBC) de missas e cultos.

A advogada da Arquidiocese do Rio, Claudine Dutra, que foi quem entrou com o pedido para anular a decisão da EBC, por entender que o ato da empresa era de discriminação religiosa. “São programas antigos e que têm um público cativo”, argumentou. Como fundamento para excluir a programação religiosa, o Conselho Curador alega o caráter republicano laico da EBC. A Arquidiocese defende que uma empresa pública de telecomunicações deve abrir suas portas a todas as religiões, especialmente àquelas que têm grande representatividade na sociedade.A decisão do juiz federal vale por tempo indeterminado e se estende à programação das rádios. Aos sábados, é transmitido um culto da Igreja Batista e, no domingo pela manhã, a Santa Missa e o programa ‘Palavras de Vida’, ambos da Igreja Católica.